quarta-feira, 24 de setembro de 2008

O Papel do Administrador no Desempenho das Organizações

Os novos paradigmas do mundo globalizado exigem do administrador uma visão sistêmica e desenvoltura suficiente para formular soluções rápidas para eventuais problemas que surgem nas organizações. Desde recrutamento e seleção, descentralização ou centralização à gestão de novos conflitos, ele precisa estar ciente de sua importância nas tomadas de decisões, a fim de tornar seu papel de administrador mais evidente.

A administração como ciência, torna-se sempre presente num mundo globalizado, onde novos questionamentos são colocados, exigindo uma pronta intervenção, pois não há mais tempo para que sejam pesquisadas outras estratégias mais seguras, fazendo com que as decisões de certa forma sejam arriscadas, porém rápidas, já que o mercado exige cada vez mais eficiência e rapidez, caso contrário poderá ser fatal à organização.

A prática administrativa no mercado é de fundamental importância, visto que ele agrega conhecimentos que garantem a otimização e a sobrevivência das empresas com sucesso no mundo competitivo.

O foco atual do administrador é a inovação, considerando a mudança constante como a principal marca do mundo globalizado. Gerir uma empresa atualmente é mais do que tomar decisões com base em dados confiáveis e experiência. O executivo precisa, antes de tudo, assumir a posição de líder, tendo o compromisso com a empresa e principalmente consigo mesmo, pois fraquejar pode ser um caminho não só para sua demissão, como para o fracasso da empresa.

Diante disso, as principais características exigidas ao profissional do futuro, são a adaptação, flexibilidade, criatividade, motivação e determinação. Se as mudanças atuais significam pressão, dificuldades e competição, também são capazes de proporcionar novas oportunidades.

Referências Bibliográficas: ALCOFORADO, Fernando. Globalização. São Paulo: Nobel,1997.
CHIAVENATO, Idalberto. Teoria geral da administração. 3.ed. São Paulo: McGraw-Hill, 1987.
TONET, Helena. Um novo desafio para a administração. Revista Brasileira de Administração. São Paulo, p. 22-28, 2000.

Nenhum comentário: